Search for content, post, videos

Knights of Sidonia: o anime do Netflix

Planeta Terra destruído, raça humana quase extinta, vida no espaço e, claro, como não poderia faltar, robôs gigantes. Essa, podemos dizer, é a estrutura do enredo de Knight of Sidonia.

Sinopse

Nagate Tanizake, um menino criado às margens de uma sociedade de humanos projetados geneticamente, entra para o esquadrão de elite de Sidonia, a nave dos humanos que conseguiram escapar da destruição da Terra, graças a seu talento como piloto. Eles sofrem ataques constantes dos Gaunas, aliens amorfos cuja missão é eliminar a raça humana.

Elenco: Hisako Kanemoto, Aki Toyosaki, Ryota Ohsaka, Takahiro Sakurai, Aya Suzaki, Eri Kitamura.

 

Entendendo um pouco mais

No cenário atual de Sidonia, eles estão no ano 3.394 e a Terra já não existe mais. Os humanos, se é que ainda podemos chamá-los assim, hoje vivem no espaço, em naves como a própria Sidonia, que foram construídas com restos do próprio planeta.

A Terra foi destruída por alienígenas, os Gaunas. São monstros gigantes, fortes e agressivos, muitos difíceis de serem derrotados. Para conseguir matar um Gauna, é necessário destruir um núcleo que fica entre a sua coluna e seu cérebro. Quando esse ponto é atingido por uma Kabizashi (a única arma que conseue penetrar no corpo do monstro) e perfurado, o Gauna acaba se desintegrando. É desconhecido o motivo pelo qual os Gaunas atacam os humanos, mas, por isso, uma longa guerra acaba sendo travada, deixando os homens em estado de alerta por mais de 100 anos.

Em Sidonia, os humanos foram adaptados e “modificados” para viver e se reproduzir de forma diferente. Agora, eles se alimentam uma vez por semana através da fotossíntese, que é feita em salas especiais, visando, assim, à maior longevidade da raça humana. Existe um terceiro gênero, além do feminino e masculino, que se adaptará ao corpo do parceiro escolhido no futuro.

E, não se pode esquecer, obviamente, dos robôs gigantes que são chamados de Guardians, utilizados para defender Sidonia de possíveis ataques alienígenas, mas que também realizam missões de exploração e captação de recursos fora dos limites da nave. Praticamente todos os jovens são preparados para se tornarem Pilotos de Guarda e estarem sempre alerta para servir Sidonia.

É nesse universo que Tanizake é inserido. Ele foi criado por seu avô nos túneis que ficam no subsolo da nave, deixando de participar de toda essa evolução por que a raça humana passou. Por exemplo, ele ainda precisa realizar as velhas refeições, hábito que já foi deixado de lado. A única coisa que ele tem em comum com a sociedade atual é que já vinha sendo preparado para ser um Piloto Guardião, já que passou boa parte de sua vida dentro de uma cabine de simulação, um pouco mais antiga que as utlizadas na superfície.

 

O primeiro episódio

No primeiro episódio, eles utilizam Tanizake como desculpa para explicar tudo o que acontece no universo do anime. Todas as informações ainda são básicas, mas o suficiente para que, quando surgirem novos fatos, o telespectados não se sinta perdido e fique sem entender algo.

Logo de cara, é possível perceber que Tanizake será um tipo de “escolhido”, fato bem comum em animes, e possivelmente vai se tornar o melhor dos Pilotos Guardiões. Mas evidências nos levam a acreditar que não será uma caminho simples.

Já no primeiro episódio, é possível identificar um personagem que tem potencial para ser o vilão e possível inimigo de Tanizake, assim como fica no ar um possível par romântico do herói.

Mesmo com essa grande quantidade de informações, o primeiro episódio tem um bom ritmo e não é nada confuso. Ele te prende do início ao fim e, o mais importante, te deixa com muita vontade de ver o segundo, já que, logo de cara, Tanizake já vai ter um grande problema para resolver.

As duas temporadas do anime, cada uma com 12 episódios, já estão disponíveis no Netflix e a terceira já está confirmada, ou seja, se fosse algo ruim ou que não tivesse uma boa aceitação do público, a série já teria sido cancelada.

 

Curiosidades

Knigths of Sidonia é um mangá que foi criado por Nihei Tsutomu e publicado pela editora Kodansha na revista Afternoon. Sua publicação nos EUA foi pela editora Vertical.

O anime foi produzido pela Polygon Pictures com direção de Köbun Shizuno, roteiro de Sadayuki Murai e trilha sonora de Noriyuki Asakura.

A primeira temporada estreou em 2014, entre abril e junho, e a segunda, em abril de 2015, com o título de Knights of Sidonia: Battle for a Planet Nine.

Conheci o anime através de uma dica do Guga Mafra, que ele deu no quadro “Qual é a boa?“, do Braincast, podcast semanal onde eles discutem diversos assuntos que vão de publicidade a política, passando por cinema, séries, mercado de trabalho e outras coisas. Se você não quiser escutar o podcast inteiro, você pode ver só o Qual é boa? no canal do B9 no YouTube.