Search for content, post, videos

Kong: A Ilha da Caveira, diverte e vale o ingresso

Para falar de um filme, antes de qualquer coisa, precisamos entender a proposta e quais os objetivos que a produção deseja alcançar. “Kong: A Ilha da Caveira” claramente, ao menos na minha opinião, tenta romper com o clássico dos anos 30 e entregar uma nova abordagem que possa envolver e entreter mais seus telespectadores.

Estamos em 1973, os E.U.A saindo da guerra do Vietnã. Esse é o contexto político apresentado, de forma simples, para justificar uma expedição para uma ilha ainda desconhecida da humanidade.

O filme inicia uma breve apresentação sobre seus personagens nesse momento. Breve, porém, não superficial. Usando clichês a seu favor, o filme apresenta personagens estereotipados em situações que justificam suas motivações e deixando bem claro quais serão suas funções no filme.

Após essa breve introdução, o filme mostra seu potencial técnico na cena em que a equipe de exploração chega a Ilha da Caveira. As explosões, causadas pelos humanos, fazem com que o macaco gigante surja “virado no Jiraya”, destruindo tudo o que vê pela frente.

Apenas essa cena já vale o ingresso da sala IMAX. Podemos ver cada detalhe de Kong e como ele é imponente frente aos pequenos e frágeis humanos, com seus helicópteros de brinquedo.

Efeitos, direção de arte e fotografia são outros pontos a serem elogiados na produção. Feitos com cuidado, além de ajudar a contar a histórias, tornam a nossa imersão cada vez maior a cada minuto do filme.

A partir dessa primeira destruição, temos o início da nova abordagem. Conforme a explicação da relação de Kong com a ilha acontece, Jordan Vogt-Roberts – diretor do filme – apresenta os pontos diferenciais de cada um dos personagens e como caminharão seus desenvolvimentos até o fim do filme.

Personagens que casaram muito com seus atores. Longe de atuações extraordinários, mas efetivas, Tom Hiddleston, Brie Larson, Jonh. C Reilly, Samuel L. Jackson e John Goodman levam o filme sem nenhuma dificuldade, mostrando que sobram nos papéis.

Samuel L. Jackson, um dos meus atores preferidos, consegue se destacar um pouco mais que os demais. Incorporando o perfil do soldado viciado em guerras, sanguinário e focado em apenas um objetivo, sua atuação é tão convincente que em vários momentos, é possível torcer para que ele tenha a morte mais dolorosa possível.

Definitivamente, Kong não tem o melhor roteiro que poderia ter. Com uma história simples, de fácil compreensão e, de certa forma, previsível a produção vai pelo caminho seguro para entregar um bom entretenimento para quem pagou o ingresso do cinema.

Entretanto, ser simples e seguro, não faz com que o filme seja ruim. É importante ter em mente que Kong estará relacionado com outros filmes como Godzilla, Mohtra e mais algumas lendas japonesas. Sendo assim a produção não entregaria toda a história e tudo o que envolva a história do filme logo de cara.

Haverão pontos para serem completados em outros filmes, para que eles formem o tal universo pretendido pela Warner Bros., para que ela possa lançar quantos filmes quiser e ganhar muito dinheiro com esses lançamentos. Afinal, pode ser que alguns não saibam, mas cinema é um negócio e como todo negócio, é preciso gerar lucro para a empresa que produz o filme.

É importante que filmes como “Kong: A Ilha da Caveira”, sejam sucessos de bilheteria, afinal são os filmes blockbusters que financiam o mercado cinematográfico e, consequentemente, permitem que venham filmes cults e cheios de desenvolvimento de roteiro, personagens e tudo mais o que cinéfilos gostam.

Nota: 7 Stars (7 / 10)

 

  • Gostei de ler suas ponderações a respeito do filme. São objetivas. Vão direto ao ponto. Esse é um tipo de filme que não tenho vontade de assistir. E sabendo que tem relação com o universo de Godzilla e Mohtra me desmotiva ainda mais. Para mim, nem pra entretenimento esses filmes servem.

    Abraço

  • Não me parece ser o filme que eu assistiria no cinema, mas ainda assim gostaria de ver.

  • Vickawaii

    Confesso que me interessei pelo filme a partir do momento em que fiquei sabendo do roteiro, haha. São todos atores muito competentes e, se os efeitos visuais/técnicos são bons (o que, na verdade, aprecio muito), é possível que eu goste do filme enquanto entretenimento. Também gostei muito da sua crítica e da forma com que ela é conduzida (:

    Beijos, Vickawaii
    http://www.neverland.com.br

  • Amanda Oliveira

    Oieee, fui ao cinema duas vezes esse mês e nas duas vezes em que fui parei sobre o cartaz de Kong e meditei por alguns segundos, mas a decisão final era: não qro ver esse filme. rs Sei que a proposta é diferente, mas como eu sou apaixonada pelo King Kong de 2005, achei q esse filme me faria ver as coisas por outro ângulo. Sinto porém que o filme é bom e percebi pelo trailer que os efeitos estão muito bons e a fotografia tbm. Enfim, quem sabe eu não assista depois. Gostei da crítica, parabéns. Bjooos

    canalcereja.blogspot.com.br

  • Falkner Moreira

    Achei os teasers desse filme fraquinhos, fiquei pensando “porra, mais um de King Kong??”. Mas depois do trailer fiquei bem instigado, principalmente por ele ser mais diferente da história original 🙂

  • Andressa Souza

    Em tempos de “pago inteira”, hoje em dia eu preciso que o filme tenha recomendações excelentes pra ver no cinema. Acho que vou deixar Kong pra ver no Popcorn Time mesmo haha

  • Nati

    Oi!
    Eu pouco ouvi falar sobre esse filme e acho que essa coisa despretensiosa acaba favorecendo, pois vamos assistir sem expectativas. Quando vi o trailer no cinema, ele foi bem convincente, daquele filme pra ver no cinema e se empolgar com as cenas. Gostei muito do post!

  • Mariana Maiz Pirolo

    Quando eu assistir o trailer na CCXP ano passado, até fiquei com vontade de ver esse filme. E olha que não é um tipo de filme que eu me interesse muito. Mas achei que deveria ser divertido.
    Beijos
    Mari
    http://www.pequenosretalhos.com

  • Ana Letícia

    Olá, tudo bem? Sua resenha estar de parabéns. Embora King Kong tenha feito parte da minha infância, não estava tão animada assim para ver o remake, mas depois de ler o post fiquei bem curiosa para ver a produção. Mesmo que ela tenha seguido um caminho seguro, parece que vale a pena.

    Bye e até logo
    http://www.meioassimetrica.com.br/

  • Confesso que não gosto muito de filmes que envolvam animais, nunca me chamam a atenção.
    Mas o elenco desse filme está despertando minha curiosidade, quem sabe dou uma chance.

    Beijos

  • Sabe aquele filme antigo do Kong? Confesso que eu chorei assistindo ele, olha só. Desde então eu tenho um carinho todo especial pela franquia, por mais blockbuster que seja, e estou louca para assistir esse, inclusive no cinema e de preferência no 3D.

    Beijos
    http://www.jadeamorim.com.br

  • Gostei muito do seu texto! Deixou bem claro os pontos positivos e negativos de uma forma sóbria. Eu adoro o filme antigo de King Kong, mas por algum motivo não estou muito animada com este… Vou pensar em dar uma chance.