Search for content, post, videos
Fragmentado transborda desespero e terror psicológico

Fragmentado transborda desespero e terror psicológico

Falar sobre a carreira de M. Night Shyamalan, é a mesma coisa que chover no molhado. Todos sabem do seu início surpreendente com os filmes “O Sexto Sentido”, em 1999, e depois “Corpo Fechado” nos anos 2000. Essas duas produções, somadas a “Sinais” e “A Vila”, de 2001 e 2004 respectivamente, colocaram o diretor como o “novo Spielberg” para se ter uma ideia.

O diretor e roteirista que tinha atingido o status de intocável, conheceu o outro lado da moeda com os frustrantes “A Dama na Água” (2006), “Fim dos Tempos” (2008), “O Último Mestre do Ar” (2010) e “Depois da Terra” (2013). O fundo do poço parecia inevitável pela crítica, tanto que “Fragmentado” é considerado, pelo público e crítica, uma espécie de ressurgimento do diretor.

Se é renascimento ou não, é complicado de afirmar. Mas há um ditado que diz: “quem já aprendeu a andar de bicicleta, não esquece”. E M. Night Shyamalan mostra que ainda saber construir um excelente filme para felicidade de alguns e tristeza de outros.

 

Fragmentado é claustrofóbico, agoniante e desesperador

“Fragmentado” conta a história de Kevin, que sofre do transtorno dissociativo de identidade, ou seja, múltiplas personalidades. O jovem possui 23 personalidades dentro de seu corpo que podem ter diferentes características, sexo ou idade. E tudo se inicia quando uma das personalidades sequestra três garotas em um shopping.

Shyamalan soube usar o transtorno a seu favor para desenvolver a história. Se utilizando de fatos do mundo real, o diretor conseguiu dar veracidade para os acontecimentos que tornavam o caso de Kevin tão único e assustador.

Além do transtorno que afeta o personagem, Shyamalan consegue trazer clássicos elementos do suspense do melhor jeito possível. Com câmeras fechadas e claustrofóbicas, ele nos deixa com a mesma sensação de desespero dos personagens. A agônica e o medo são enormes pelos corredores sem fim criados pelo diretor, apenas confirmam que estamos presos e seremos os próximos a serem pegos, mesmo estando na cadeira do cinema.

Shyamalan sobra tanto no filme, que aproveita as mudanças de personalidade para mudar a forma que retrata cada personagem. Hedwig, a criança exibida no trailer, tem planos fechados, geralmente de cima, para mostrar como ele é pequeno. Já Dennis, a personalidade com TOC, sempre está em planos simétricos.

Hedwig é uma das personalidade de Kevin (James McAvoy)

Hedwig é uma das personalidade de Kevin (James McAvoy)

 

Mas o sucesso do filme não fica apenas por conta do diretor. James McAvoy, Anya Taylor-Joy e Betty Buckley também colaboraram para que a produção esteja em outro patamar, cada um da sua forma.

James McAvoy, obviamente, dá o tom do filme. Conhecido como Professor Xavier do X-Men, o ator conseguiu dar características únicas para cada uma das personalidades. Tons de voz, posturas, olhares, manias, formas de olhar e andar. Eram tantos detalhes que diferenciavam as personalidades que beirava o assustador.

Não é exagero dizer que o filme não seria o mesmo sem a brilhante atuação de James. E isso é escancarado em dois momentos do filme, em que sua capacidade de transitar pelas personalidades em frente a câmera, sem cortes, é impressionante.

Anya Taylor-Joy, assume o papel de coadjuvante com tranquilidade. Com uma personagem cheia de camadas, desde o início percebemos que a personagem da atriz não é uma adolescente comum e que carrega um grande fardo nas costas.

Betty Buckley, interpreta Dra. Karen Flecther, a psicoterapeuta de Kevin serve como uma espécie de guia pela história do filme. Com ela vamos conhecendo a vida do personagem, seus medos, traumas e entendendo as peculiaridades da mente de Kevin.

Definitivamente, “Fragmentado” é um daqueles filmes que precisamos assistir. Não apenas pela capacidade de entretenimento, mas também pelas brilhantes performances dos atores e diretores. E ver isso, é fazer parte da história do cinema.

Nota: 9 Stars (9 / 10)

Pôster do filme Fragmentado

Pôster do filme

  • Shanna Estiene

    Eu to doida pra ver esse filme… E sua resenha me deixou ainda mais curiosa… Só espero não ficar chocada demais… rs bjs

    • Então Shanna, talvez eu seja suspeito para falar pq gosto muito de suspenses. Mas, o jeito que o Shyamalan escolheu para desenvolver o filme, foi muito inteligente.

      Não tem nada de inovador, mas está tudo bem redondo, que no mínimo vale pelo entretenimento…hahahaha

      Fico feliz por vc ter gostado da resenha. 🙂

  • Michelle Graça

    Esse filme é do Caraleooooo (desculpa eu juro que minha mãe me deu educação). Fiquei totalmente presa a trama e o desfecho do filme. Super indico