Search for content, post, videos
Batman: A Piada Mortal e os laços de Batman e Coringa

Batman: A Piada Mortal e os laços de Batman e Coringa

Não pertenço ao mundo dos quadrinhos e, por conta disso, pode soar estranho escrever uma resenha sobre um dos quadrinhos mais famosos de todos os tempos. Para se ter uma ideia da importância dessa história, é a preferida de Tim Burton.

Mas exatamente por conta disso, posso dar o ponto de vista de um leigo para que outros, como eu, sintam-se a vontade para tatear um pouco desse imenso universo que são as histórias em quadrinhos. Tendo esse ponto esclarecido, perdoem qualquer absurdo que seja escrito daqui em diante.

Até mesmo para quem não é grande entendedor da história do morcego de Gotham, alguns pontos são uma espécie de conhecimento geral. São eles: a morte de seus pais, seu parceiro Robin e, talvez o mais importante, seu arquirrival o Coringa.

Essa relação conflituosa tornou, na opinião de muitas pessoas, o maluco de cabelo verde seu principal inimigo. Talvez, sua importância, nem seja como um inimigo, mas sim como um contraste necessário. O outro peso da balança, para que assim, o Batman possa seguir no seu caminho de justiceiro sem ultrapassar limites.

Eu adorei A Piada Mortal. É o meu favorite, o primeiro gibi que gostei. Tim Burton.

E esse é um dos pilares que Batman: A Piada Mortal se desenvolve. Fica claro que para a existência do Batman é necessária a existência do Coringa é o contrário também é válido. Mas ao mesmo tempo, que o Coringa é uma espécie de proteção dos ideais do justiceiro, é indiscutível que o conflito entre eles está chegando ao seu limite e só há uma solução: a morte de um deles.

E, apesar dessa solução ser plausível para um louco psicopata, não é para um personagem cheio de ideais de justiça como o Batman. Ele não pode aceitar que seus valores sejam corrompidos por uma situação que pode ser evitada. Apesar de antagônico, o Coringa é a relação mais longa, profunda e dolorosa que o Batman possui.

A história evidencia seus laços e nos leva para um caminho, que parece ser, sem volta. Uma série de decisões tomadas, ações feitas que precisam de respostas imediatas e, que talvez, possam ter consequências que nenhum dos personagens deseje.

Apesar do foco ser no conflito de Batman e Coringa, o Comissário Gordon é colocado em situações que, sem dúvida, te fazem prender a respiração e, por mais de uma vez, é possível ter muita pena do pobre rapaz.

 

Estreitando os laços com o Coringa

Chega a soar estranho escrever isso, mas em Batman: A Piada Mortal é possível simpatizar mais que o comum com o Coringa.

Mas tomar conhecimento do momento em que o Coringa nasceu para o mundo, da série de acontecimentos que o levaram a perde a sanidade, nos fazem ter um breve momento de reflexão: “Poxa, com tudo isso que aconteceu, dá para entender como ele ficou assim.”.

Que talvez ele não seja um insano sem propósito. Quem sabe ele só vem buscando respostas que permitam explicar o que foi responsável por torna-lo naquilo que ele é hoje.

Nessa história ele possui apenas um objetivo: mostrar que o muro que divide o mundo entre “pessoas normais” e “malucos” é só um dia ruim. Um dia em que nada dê certo, que seus planos não saiam como o esperado, um dia que sua vida vire do avesso e nada mais possa coloca-la na direção certa.

Um dia ruim. Um dia que pode acabar com tudo. É isso que o Coringa quer provar.

Para estreitar ainda mais a relação conflituosa desses incríveis personagens, o fim da história só poderia pertencer a eles. A fica a dúvida: o caminho escolhido por eles, resultou no esperado resultado?

Batman: A Piada Mortal talvez seja muito melhor aproveitando por aqueles que possuem um maior conhecimento do seu universo, mas para nós que estamos engatinhando nesse universo, também, é uma baita leitura. E, por isso, vale muito a pena.

Esse incrível roteiro foi escrito por Alan Moore e as, maravilhosas ilustrações, ficaram na responsabilidade de Brian Bolland.

 

Batman: A Piada Mortal tem seu primeiro trailer publicado

Batman: A Piada Mortal tem seu primeiro trailer publicado